Fiat Lux[1]

Gostou deste artigo? Então clique no botão ao lado para recomendá-lo aos seus contatos do Google! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter e assinar nosso Feed.




A única luz que entrava naquele quarto vinha através de uma fresta do telhado. Um raio de claridade descia do alto ao chão e era possível ver grãos minúsculos de pó suspensos num ir e vir ininterrupto. Deitada na pequena cama olhando esse ponto luminoso, era como se estivesse vendo tudo de um lugar fora de meu corpo. Via-me ali inerte, olhos abertos fixos na tênue claridade.

Os pensamentos atropelavam-se como se empurrados por uma onda imensa de saudade e angústia. Imagens de tempos idos vinham em flashes, entrelaçados no tempo e no espaço sem obedecer a uma ordem cronológica. Alguma coisa se rompera e trouxera o caos, esse caos absurdamente doloroso, sufocante.

O que fazer quando todas as perspectivas diluem-se num átimo impreciso, sem deixar rastros nem possibilidade de retorno? Como lidar com ausências insupríveis? Que fórmula mágica seria capaz de subverter o imenso vazio daquela vida pautada em metáforas subtraídas de um conjunto de ideações? Onde encontrar respostas para inquietações que teimam em buscar um elemento resolúvel?

Inesperadamente o raio de luz projetou-se em meu rosto, obrigando-me a fechar os olhos. Fui envolvida numa mornura gostosa como colo de alguém muito amado. Um conforto, a princípio sutil, foi tomando meu corpo, minha alma, meu coração. A gelidez, antes dona de mim, aos poucos foi dando lugar a algo que penetrava como fagulhas e trazia-me de volta à realidade. Compreendi que a vida é isso, saudades, começos, finais, recomeços, risos, lágrimas, conquistas, fracassos, amores, desamores, escuridão e, no fim, a luz. Não importa que seja apenas um pequeno raio vindo de uma fenda nas telhas, mas é luz e na claridade enxergamos melhor e podemos entender alguns dos mistérios desse que é o nosso maior mistério: a vida.




[1] Fiat Lux: Expressão latina que significa “faça-se luz”.



4 comentários:

Vinicius.C disse...

Olá!!

Falar sobre a vidam divagar ou contar como quem encosta o cotovelo na janela da Alma.

Muito bom mesmo e não diga mais que sua sensibilidade não se compara a minha, somos uno em tudo que dizemos e sentimos, cada um- um encanto e acredite estou saindo daqui encantado!

Beijo enorme e estou seguindo você ótimo domingo!!!

Vânia disse...

Gostei tanto que compartilhei no face.Bjs

Lindalva disse...

clap clap clap muitos aplausos... Vera estou encantada com tua pág, não só pela estética, como pelo conteúdo e a clareza dos textos. Visitei tb. o Canto e o Empório (mais aplausos) tu é danada de boa menina, blogueira nota 10. Um beijo no coração. Ah! em fevereiro minha Ilha estará completando 2 anos de renascimento e conto com você nas brincadeiras e na festança... breve deixo o convite.

Igor Ravasco disse...

Vera, obrigado pela sua visita e seu comentário no Carta e Verso. Como você viu, meu blog tem 4 anos e muita coisa para vasculhar... hahaha... Volte sempre e comente o que quiser. =)

Parabéns pelo seu blog!!!! Voltarei e comentarei também. =)

Um abraço.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...