Barco ao mar

Gostou deste artigo? Então clique no botão ao lado para recomendá-lo aos seus contatos do Google! Aproveite para nos adicionar no Facebook, seguir no Twitter e assinar nosso Feed.






Em tardes mornas de primavera eu deitava na grama olhando o céu.  Fechava os olhos e imaginava um mar safira com espumas brancas, onde pequeno barco com vela carmim balançava ao sabor do vento e da água. Dentro, apenas eu sentada com os olhos mergulhados naquela imensidão azul. O único ruído era o murmurar de pequenas ondas no casco da embarcação. O mundo inteiro se resumia ao que os meus olhos alcançavam. Sem passado e sem futuro o tempo era aquele. A ampulheta parava, os relógios congelavam seus ponteiros, a vida estava suspensa naquele instante mágico. Dores e temores, medos e ansiedades tudo sumira no abissal abismo do oceano. Uma doce paz ocupando todos os espaços, enchia corpo e alma de uma gostosura cálida, crescendo até explodir num êxtase de pura felicidade.

Abrindo os olhos, ancorava meu barco de sonhos num porto imaginário, recolhia a vela e esvaziava o mar. Ficavam guardados para momentos de sonhos e devaneios em outras tardes primaveris. Durante meu tempo de menina fui marinheira de muitas viagens e desbravei oceanos mundo afora. Hoje meu mar é uma página branca que preencho de palavras, tal como pequenas embarcações que carregam sonhos, sentimentos, dores, amores, esperanças. Sou maruja da escrita, navego no universo da palavra e em minhas viagens vou deixando um rastro de sentimentos que ondulam no mar da vida.

1 comentários:

Vinicius.C disse...

Sabe... ao ler seu texto, não sei se viajo no seu imaginário ou se sinto o mar e tudo que me possa tocar... muito bom mesmo!! Um prazer estar aqui viu espero por você no Alma!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...